top of page

APEF Acompanha Discussões para Construções Sustentáveis com Madeira

29/05/2024

 




Na última terça-feira (28), a diretoria da Associação Paranaense de Engenheiros Florestais do Paraná - APEF participou da reunião do Conselho Setorial da Indústria da Madeira da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP). O encontro reuniu, de maneira presencial e online, mais de 100 profissionais representantes da indústria madeireira, universidades, Poder Público e Sociedade Civil Organizada para discutir maneiras de incentivar o uso sustentável da madeira na construção civil.

 

É missão do Conselho Setorial discutir e fomentar ações em prol do desenvolvimento da indústria da madeira no Paraná. Para isso, profissionais das entidades associadas à FIEP se organizaram em quatro Grupos de Trabalho, abordando de maneira transversal os desafios enfrentados pelo setor: Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação; Políticas Públicas; Mercado, Promoção e Divulgação; e Qualidade da Mão de Obra.

 

“Os grupos têm a intenção de desenvolver ações que visem incrementar o setor industrial e as construções de madeira, o que requer uma produção sustentável de matéria-prima. Nesse sentido, a participação da APEF é fundamental para desenvolver ações que possibilitem à engenharia florestal auxiliar na proposição de programas e projetos voltados à produção da matéria-prima de maneira sustentável”, explica a presidente da APEF, Lella Bettega.

 

Também foram discutidos no encontro os desafios e demandas do setor para o fomento da construção civil sustentável utilizando madeira, o que envolve técnicas, matéria-prima e mão de obra qualificada para o uso de métodos como a madeira engenheirada, wood frame e outras técnicas avançadas.



 

“Como presidente da APEF e engenheira florestal, entendo que é necessário buscar alternativas e formas de incentivar a produção de plantios que promovam esse desenvolvimento. Temos dois setores muito fortes, o agronegócio e a indústria de papel e celulose, que já possuem áreas de plantio específicas e estão sempre em busca de novos espaços. Portanto, é crucial que tenhamos políticas públicas de incentivo fiscal para áreas com potencial de produção de madeira, pois, sem uma expectativa de consumo, o setor não se desenvolverá conforme sua capacidade”, afirmou Lella.

 




Os participantes do encontro discutiram preocupações e soluções para superar as demandas imediatas e futuras do setor, como a necessidade de reconstruir rapidamente casas para aqueles desalojados pelas enchentes no Rio Grande do Sul. “A APEF continuará atuando e contribuindo para o desenvolvimento da indústria da madeira e da engenharia florestal no Paraná”, finaliza a presidente da entidade.

Comments


bottom of page