top of page

Indicada da APEF ganha prêmio CREA-PR Engenheira Enedina Marques




A engenheira florestal Tânia Magda Matsuno Albino Ramos, indicada pela Associação Paranaense de Engenheiros Florestais (APEF) para concorrer com demais profissionais na Câmara de Engenharia Florestal do CREA-PR, foi uma das vencedoras do prêmio Enedina Alves Marques. A cerimônia de entrega do prêmio aconteceu nesta terça-feira (18) e contou com a presença de representantes do CREA-PR, Mútua e CredCrea (apoiadores da premiação), além das entidades de classe e autoridades.


A premiação reconhece mulheres engenheiras que se destacam na atuação profissional em todo o estado e é uma homenagem à engenheira Enedina Alves Marques, a primeira mulher engenheira civil no Paraná e a primeira mulher engenheira civil negra do Brasil. Formada pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Paraná em 1945, Enedina é um exemplo de superação de obstáculos e deixou um legado de conquistas que segue inspirando muitas mulheres em todo o país.


“Receber esse prêmio é uma honra. Enedina abriu um caminho para que todas nós, engenheiras, com determinação e coragem, nunca retrocedêssemos diante de qualquer percalço que encontrássemos em nossa profissão. Então, essa homenagem hoje é um tributo pessoal de todas nós engenheiras à nossa colega Enedina Marques”, disse Tânia.


Para receber a premiação, foram indicadas profissionais de cada uma das áreas de abrangência das sete Câmaras Especializadas do CREA-PR (engenharia civil, agronomia, engenharia elétrica, engenharia mecânica e metalúrgica, engenharia florestal, engenharia química, geologia e minas, agrimensura e engenharia de segurança do trabalho). Os nomes dessas profissionais de destaque foram escolhidos a partir de indicações feitas pelas entidades de classe e pelos Colégios de Inspetores e de Instituições de Ensino, e CreaJr-PR.



“A Tânia é um exemplo na profissão da Engenharia Florestal. Atuando há mais de 50 anos na área, defendendo os projetos, os licenciamentos ambientais e lutando pelos ideais da Engenharia Florestal, sempre com uma integridade que não se compara. É um exemplo para nós, mulheres e engenheiras florestais. Não havia nome mais oportuno para receber esse prêmio: uma mulher que também é batalhadora e que foi a única da sua turma a se formar”, destacou a presidente da APEF, Lella Bettega.


Na cerimônia, a coordenadora do Comitê Mulheres, engenheira agrônoma Adriana Baumel, destacou a importância da premiação, que é feita a partir de uma análise de currículo e trajetória profissional de mulheres relevantes em suas profissões. Segundo ela, as instituições de ensino, Câmaras Especializadas e as entidades de classe foram responsáveis por 80% do total de 34 indicações de mulheres que concorreram ao prêmio, que tem apoio da Mútua e CredCrea. “Quero, neste momento, parabenizá-las pelo prêmio que recebem hoje. Seguindo o legado deixado pela Enedina, grande engenheira, estamos fazendo jus ao seu trabalho e ao seu pioneirismo. É isso que queremos, mostrar que as mulheres são capazes, são grandes profissionais”, disse.


Para o presidente do CREA-PR, engenheiro agrônomo Clodomir Ascari, o reconhecimento formalizado na cerimônia é importante para a entidade e, principalmente, para a sociedade como um todo. “Este prêmio homenageia a ilustre engenheira Enedina Marques, que quebrou barreiras. O prêmio nasceu para homenagear a perseverança e a conquista das mulheres nas áreas das Engenharias, da Agronomia e das Geociências. Hoje, eu fico muito feliz em dizer que nós queremos celebrar mais do que a perseverança, a garra, a resiliência – que sabemos que elas têm. Hoje queremos celebrar a excelência profissional e o talento das engenheiras, das minhas colegas agrônomas e das geocientistas”, destacou.


Participaram do evento de entrega dos prêmios o secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Natalino Avance de Souza; a Deputada Estadual, Marcia Huçulak; o presidente do IDR, Richard Golba; e o ex-governador do Estado do Paraná e engenheiro agrônomo, Orlando Pessuti.



Conheça as homenageadas:



  • Indicada pela Câmara Especializada de Agronomia e pelo Sindicato dos Engenheiros no Paraná, a engenheira agrônoma Mary Stela Bischof.

  • Indicada pela Câmara Especializada de Agrimensura e Engenharia de Segurança do Trabalho e pela Associação Brasileira dos Engenheiros Cartógrafos Regional Paraná, a engenheira cartógrafa Simone Maren Günther.

  • Indicada pela Câmara Especializada de Engenharia Civil e pelo Colégio de Instituições de Ensino, a engenheira civil Cláudia Telles Benatti.

  • Indicada pela Câmara Especializada de Engenharia Elétrica e pelo Senge-PR, a engenheira eletricista Gisele Monteiro.

  • Indicada pela Câmara Especializada de Engenharia Florestal e pela Associação Paranaense de Engenheiros Florestais, a engenheira florestal Tânia Magda Matsuno Albino Ramos.

  • Indicada pela Câmara Especializada de Engenharia Química, Geologia e Minas, a engenheira química Mila Aguilar.

  • Indicada pela Câmara Especializada de Engenharia Mecânica e Metalúrgica, a engenheira metalúrgica Ana Sofia Clímaco Monteiro d’Oliveira.

 

*Com informações do CREA-PR

Kommentarer


bottom of page